Novos processadores da Intel foram refeitos para corrigir Spectre e Meltdown

Novos processadores da Intel foram refeitos para corrigir Spectre e Meltdown

Elas afetam quase todos os processadores fabricados nos últimos 20 anos por diversas empresas.

A Intel atingiu um marco relacionado às falhas de CPU Meltdown/Spectre e agora caminha para alcançar o próximo.

Sistemas antigos da Intel, por sua vez, ainda dependerão de atualizações de firmware para proteção contra as falhas Spectre e Meltdown.

Para quem não lembra, a Intel revelou na semana passada que começou a enviar patches para os seus chips Ivy Bridge e Sandy Bridge para os seus parceiros fabricantes de PCs, deixando apenas alguns chips de nicho sem as soluções.

O anúncio foi feito durante um comunicado do CEO da Intel, Brian Krzanich, onde ele também informou que 100% dos processadores lançados nos últimos cinco anos já receberam proteção via software.

Das três variantes que compõem as falhas Spectre e Meltdown, a primeira variante Spectre foi essencialmente corrigida através de software. Esse código foi criado originalmente pela Intel, então encaminhado para os usuários por meio da Microsoft e pelas fabricantes parceiras de hardware. A Microsoft também disponibilizou as correcções para sistema operativo bem como o microcódigo da Intel através do "Windows Update". Ambas vão obrigar a revisões de hardware que serão lançadas mais tarde ainda este ano.

"Pense neste particionamento como 'paredes de proteção' adicionais" que serão colocadas "entre os programas e os níveis de privilégio de usuário", explicou Krzanich. Apesar de outros fabricantes de processadores como a ARM ou a AMD também poderem ser potencialmente afectados, os processadores da Intel eram considerados os mais vulneráveis. A nova geração das CPUs Xeon (Cascade Lake) e a oitava geração de CPUs, ainda não anunciadas, ganharão um redesenho. Não é claro que que os processadores Cascade Lake para desktop incluam também esse suporte de memória persistente. A alteração faz parte das correções prometidas pela Intel para proteger seus produtos contra as vulnerabilidades Spectre e Meltdown.