SAIBA MAIS- Os caminhos de Lula depois do julgamento no TRF-4

SAIBA MAIS- Os caminhos de Lula depois do julgamento no TRF-4

O grupo pretende discutir sobre temas relacionados ao julgamento do recurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que ocorrerá no dia 24 de janeiro.

Em nota publicada pelo partido, Pimenta afirmou que "deixará claro" na conversa com o presidente do TRF-4 que os protestos serão pacíficos, mas indicou ainda que os atos pró- Lula não serão os únicos temas da reunião.

O relator da ação penal contra Lula no TRF-4, o juiz federal João Pedro Gebran Neto, concluiu seu parecer e voto sobre a apelação feita pelo ex-presidente e encaminhou o processo para análise do revisor, Leandro Paulsen, no início do mês. "Eles precisam saber que nós estamos de olho", advertiu o deputado.

"Vimos pessoas que não tem nada a ver nem com segurança pública, nem com o julgamento em questão, acabam incitando e gerando manifestações que preocupam os municípes e cidadãos de Porto Alegre", argumentou. Há dúbia interpretação sobre a inelegibilidade caso o TRF-4 mantenha a condenação. Imagino quão difícil não deve estar sendo não somente para o petista, como também para seus "companheiros" e, principalmente, para muitos brasileiros que acreditaram que Lula e seu partido se manteriam fieis ao espírito que norteou a história de ambos. "É uma espécie de vacina para que eles saibam que estamos atentos", reforçou Pimenta.

Além de Lula, recorreram contra a sentença o ex-presidente da OAS Leo Pinheiro, condenado a dez anos e oito meses; o ex-diretor da área internacional da OAS Agenor Franklin Magalhães Medeiros, condenado a seis anos; e o ex-presidente do Instituto Lula Paulo Okamotto, absolvido em 1ª instância.

- A sessão começa às 8h30 com a abertura do presidente da 8ª Turma, o juiz de segunda instância Leandro Paulsen. Deve ser apresentado até dois dias depois da sentença e tem tramitação mais rápida.

Daniela postou na quarta-feira, 3, uma petição online para reunir adesões pela confirmação da condenação do ex-presidente. A outra, composta por militantes do PT, vai implorar pela absolvição de sua principal liderança, sob o falso argumento de perseguição política.