PT lançará campanha de Lula ao Planalto um dia após julgamento

PT lançará campanha de Lula ao Planalto um dia após julgamento

O julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) vai alterar a rotina dos funcionários do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) nos próximos dias 23 e 24 de janeiro.

Entre os argumentos apresentados pela defesa para justificar o pedido de anulação da condenação estão o de que o próprio juiz Moro teria reconhecido que não há registro de valores desviados da Petrobras utilizados para o pagamento de propina a Lula.

Na decisão, Moro afirma que o ex-presidente praticou os crimes de corrupção e lavagem de dinheiro por ser dono do imóvel 164-A, no Condomínio Solaris, situado no litoral paulista. Esta será a primeira sessão da 8ª Turma em 2018. Além de estender uma faixa de 40 metros com os dizeres "TRF4 INTERROMPA O GOLPE”, os manifestantes deram boas vindas aos servidores, aos funcionários terceirizados e aos magistrados que estão retornando hoje ao trabalho, após o período de recesso do Judiciário".

No dia 24, a Corte de apelação vai julgar os recursos da defesa de Lula e de outros seis réus neste processo.

Não só na capital gaúcha, onde está sediado o TRF-4, mas em cidades de todo o País. Ele citou o caso de uma pessoa do Mato Grosso do Sul que tem ameaçado atacar fisicamente o prédio do TRF-4.O desembargador contou também ter recebido um telefonema do presidente da associação de magistrados com relatos de ameaças a juízes. O colegiado também é composto pelos desembargadores Leandro Paulsen e Victor Laus. É Doutor em Direitos e Garantias aos Contribuintes pela Universidade de Salamanca, Espanha.

No dia seguinte, em 23 de janeiro, as secretarias de mulheres do Partido dos Trabalhadores promoverão um potente ato com a presença da ex-presidente Dilma Rousseff e da ex-ministra Eleonora Menicucci. Em seguida, o relator, desembargador federal João Pedro Gebran Neto, faz a leitura do relatório do processo. Formou-se em Direito em 1988 pela Faculdade de Direito de Curitiba, é mestre pela Universidade Federal do Paraná.

Se candidato, o ex-presidente tem grandes chances de ser reeleito. Foi nomeado pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.