Barril de Brent fecha em alta com novo máximo desde 2014

Barril de Brent fecha em alta com novo máximo desde 2014

Bijan Zanganeh, ministro do Petróleo iraniano, disse que alguns membros da Opep não desejavam alta de preço, especialmente para mais de US$ 60 por barril, porque isso ajudaria o setor de petróleo de xisto betuminoso.

Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o petróleo WTI para fevereiro fechou em alta de 0,47%, a US$ 61,73 por barril.

Os futuros de petróleo Brent fecharam com alta de 0,06 dólar, a 69,26 dólares o barril, depois de atingir 70,05 reais o barril mais cedo durante a sessão, seu nível mais alto desde novembro de 2014. Com o resultado, o WTI atingiu o maior nível em três anos.

Uma queda das reservas norte-americanas maior do que a esperada pelos analistas impulsionou pelo terceiro dia consecutivo o preço do Brent.

"Estamos em um ambiente no qual os produtores da Opep e a Rússia reduziram sua oferta e os estoques caíram".

"Desde o início do ano os preços vinham subindo por causa das tensões geopolíticas - seja no Irã ou entre este país e os EUA - e uma demanda forte", disseram analistas.

O Departamento de Energia também informou que os estoques de propano/propileno tiveram queda de 6,3 milhões de barris, mas também permanecem dentro do média para janeiro. Na sessão de quarta-feira, o barril fechou cotado em US$ 63,57 - alta de US$ 0,61, ou 0,97% - e chegou a registrar US$ 63,67, o valor mais alto desde dezembro de 2014.

As reservas de petróleo dos Estados Unidos registaram uma diminuição de 4,9 milhões de barris na semana passada, para 419,5 milhões de barris.

Para o analista Carsten Fritsch, do Commerzbank, as altas recentes nos preços do petróleo fazem com que possa ocorrer "supercompensação" e que isso não se alinha aos fundamentos do mercado.