Telecomunicações e transporte de carga aquecem setor de serviços

Telecomunicações e transporte de carga aquecem setor de serviços

O volume do setor de serviços cresceu 1% em novembro, na comparação com outubro, segundo informou nesta sexta-feira (12) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), interrompendo quatro meses seguidos de queda.

Os serviços profissionais, administrativos e complementares tiveram crescimento mais tímido, de 0,2%, mas foram importantes para resultado positivo do mês, já que esta área, somada as de informação e comunicação e transportes, correspondem a 85% do setor de serviços.

"Ocorrendo essa retomada de investimentos [no setor de petróleo e gás] será muito positivo para os serviços, pois puxa a contratação de uma série de atividades relacionadas à cadeia produtiva", destacou.

A recuperação no setor, porém, ocorre de forma mais lenta do que nos demais segmentos da economia.

Na comparação com novembro de 2016, o volume de serviços recuou 0,7%, com as contribuições positivas de Transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio (6,5%) e Serviços prestados às famílias (1,4%).

O setor acumula queda de 3,4% nos 12 meses encerrados em novembro do ano passado. Já no período imediatamente anterior, o IBGE havia contabilizado redução de 1,20% e entre setembro e outubro, a retração nas receitas foi de 2,30%. "O patamar ainda é negativo, mas menos negativo que nos últimos 24 meses", disse Roberto Saldanha, analista da Coordenação de Serviços e Comércio do IBGE. Segundo Roberto Saldanha, como os governos federal, estaduais e municipais enfrentam uma crise fiscal, houve corte de gastos e menos contratações de serviços para o setor público. Os Serviços prestados às famílias e os Serviços de informação e comunicação (ambos com 0,9%) tiveram o maior crescimento, seguidos por Transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio (0,6%) e Serviços profissionais, administrativos e complementares (0,2%). "Então a gente espera que o setor privado e o industrial alavanquem o setor de serviços", apontou ele.

Quanto aos resultados regionais do setor de serviços em novembro, em relação a outubro e com ajuste sazonal, Mato Grosso registra a terceira maior alta. O agregado especial das atividades turísticas apresentou elevação de 0,9% em novembro ante outubro.