Chefe de gangue japonês identificado por tatuagens é preso na Tailândia

Chefe de gangue japonês identificado por tatuagens é preso na Tailândia

Um chefe criminoso japonês foi detido na Tailândia depois de uma fotografia das suas tatuagens e da sua mão com nove dedos se terem tornado virais.

Em comunicado, citado pela Associated Press, a polícia disse que Shigeharu Shirai foi detido na passada quarta-feira numa província a norte de Banguecoque, onde se escondia há 14 anos, para evitar as acusações de homicídio de que era alvo no Japão.

Shigeharu Shirai tem 72 anos e foi preso enquanto fazia compras no mercado central de Lopburi.

As autoridades procuravam Shirai por, entre outros crimes, seu papel no assassinato de um rival em 2003.

O segredo de seu paradeiro parecia bem guardado até que um jornal local publicou uma foto desse homem magro jogando damas na rua, com o corpo cheio de tatuagens e uma das mãos sem o dedo mínimo, o popular mindinho.

"O suspeito admitiu que liderava o gangue Kodokai, da Yakuza", afirmou o porta-voz da polícia tailandesa Wirachai Songmetta.

Segundo a polícia tailandesa, Shirai admitiu ser um membro da máfia, mas não confessou o crime do qual é acusado.

O chefe da máfia mais conhecida e temida do mundo manteve um perfil baixo durante toda sua permanência na Tailândia, segundo a polícia, recebendo dinheiro duas ou três vezes por ano de um japonês visitante.

Os yakuza como Shorai sobrevivem através do jogo ilegal, tráfico de droga, prostituição e agiotagem, por exemplo.