Reino Unido frustrou plano de assassinato contra Theresa May, diz imprensa

Reino Unido frustrou plano de assassinato contra Theresa May, diz imprensa

Londres, 6 dez (EFE) - O Reino Unido frustou um suposto complô para assassinar a primeira-ministra britânica, Theresa May, em sua residência no 10 de Downing Street, informa nesta quarta-feira a imprensa local.

O MI5 tem vindo a reforçar as medidas de combate ao terrorismo, depois de ter sido acusado de ter falhado na prevenção de ataques como o de maio, à saída do concerto da cantora norte-americana Ariana Grande, que vitimou 22 pessoas.

O complô consistia em perpetrar um ataque com bomba contra as portas de segurança de Downing Street e depois, aproveitando a confusão inicial, chegar até a primeira-ministra para matá-la com uma faca, indica a emissora "BBC".

Dois homens foram presos no dia 28 de novembro, na semana passada, depois de uma operação conjunta entre o MI5 e a polícia.

O diretor do MI5 informou ontem ao Governo que as derrotas militares sofridas pelo grupo jihadista Estado Islâmico (EI) no Iraque e na Síria não implicam no fim da ameaça terrorista sobre este país. Rahman carregava dois dispositivos explosivos improvisados??inertes, enquanto o outro estava em posse de um vídeo gravado por Rahman.

A magistrada Emma Arbuthnot ordenou sua detenção durante a audiência, na qual ele se recusou a revelar sua identidade, assim como os outros dois homens que compareceram perante a juíza em outro caso de terrorismo. Foi um dos nove planos terroristas intercetados pelos serviços de segurança e pela polícia.

Depois de várias semanas de investigação, descobriu-se que estava em curso um plano terrorista para matar Theresa May.

O Reino Unido sofreu cinco atentados em 2017, que deixaram 36 mortos e mais de 200 feridos.