Explosões em Harare. Tropas invadem televisão estatal do Zimbabwe

Explosões em Harare. Tropas invadem televisão estatal do Zimbabwe

Soldados armados em veículos blindados estão hoje estacionados em pontos-chave da cidade de Harare, enquanto os residentes formam longas filas nos bancos para levantar dinheiro, uma operação de rotina num país em crise financeira. Assim o disse a imprensa estatal, como também noticiou mais tarde a própria Reuters.

A China disse hoje que a recente visita do comandante do exército do Zimbábue, general Constantino Chiwenga, que parece ter tomado hoje o controlo do seu país, foi um "intercâmbio militar normal".

O major-general zimbabuano Sibusiso Moyo leu um comunicado em directo em que quis deixar claro que não se tratava "de um golpe de Estado militar" e que o Presidente Robert Mugabe e a sua família se encontram em segurança.

"Estamos apenas a visar criminosos em torno dele [Robert Mugabe] que cometem crimes que estão a causar sofrimento económico e social no país, de modo a levá-los à justiça", afirmou o exército através dos 'media' estatais. A transmissão da televisão passou da sede da ZBC para perto de um subúrbio de Harare, em Borrowdale.

Militares cerca de Harare capital de Zimbabue
REUTERS Philimon Bulawayo Presidente do Zimbábue é capturado por militares do país

De acordo com vários relatos, quatro tanques foram vistos a dirigirem-se para a capital do Zimbabué, Harare, esta terça-feira, um dia depois do chefe das Forças Armadas, Constantino Chiwenga, ter afirmado estar preparado para "intervir" para terminar com a purga contra os apoiantes do vice-presidente, Emerson Mnangagwa, despedido na semana passada.

O vice-presidente demitido assegurou que voltará ao Zimbabué "para dirigir" o partido Zanu-PF, que, notou, "não é propriedade pessoal" de Mugabe.

Indicado como possível delfim de Mugabe durante muito tempo e um dos mais fiéis ao Presidente, Emmerson Mnangagwa, de 75 anos, foi demitido das funções de vice-presidente após um braço de ferro com a primeira dama, Grace Mugabe, colocada numa posição ideal para suceder ao esposo, de 93 anos.

Figura controversa conhecida pelos seus ataques de cólera e dirigente do braço feminino do partido do marido, Grace Mugabe tem muitos opositores, tanto no partido, como no Governo.