Nova deserção de soldado norte-coreano na Zona Desmilitarizada

Nova deserção de soldado norte-coreano na Zona Desmilitarizada

Um militar norte-coreano foi ferido a tiros ao desertar para a Coreia do Sul na zona desmilitarizada (DMZ) que divide a península, informou nesta segunda-feira (13) a agência sul-coreana "Yonhap".

"Ele veio da Coreia do Norte em direcção à nossa Freedom House [um edifício no lado Sul da fronteira]", diz um comunicado, que acrescenta que o soldado ficou ferido num braço e num ombro.

Ele desertou de um posto de guarda norte-coreano nas proximidades e estava sendo tratado no hospital.

A última travessia desse tipo foi em junho.

O episódio mais sangrento na história da passagem - estabelecida após o término da Guerra da Coreia, em 1953 - ocorreu em 1984, quando o estudante soviético Vasily Matuzok desertou à Coreia do Sul aproveitando uma visita turística realizada a Panmunjom durante uma estadia na Coreia do Norte.

Todos os anos cerca de mil pessoas abandonam a Coreia do Norte, mas a maior parte viaja através da China e é raro um norte-coreano atravessar a Zona Desmilitarizada que separa as duas Coreias, que tecnicamente ainda estão em guerra - o conflito de 1950-53 acabou com tréguas e não com um tratado de paz.

Nenhum civil mora no local e um aglomerado de casebres azuis formam uma Área de Segurança Conjunta supervisionada pela Coreia do Norte e pelo Comando das Nações Unidas. Esta deserção surge numa altura em que a tensão entre os dois países se tem vindo a agravar, depois de novos testes nucleares de Pyongyang.