Há tantos milionários em Portugal como na Arábia Saudita

As comparações com os baby boomers (membros da geração nascida após a Segunda Guerra Mundial) podem não ser muito justas, mas o relatório observa que a geração Y não está se saindo tão bem quanto seus pais quando tinham a mesma idade, especialmente em relação à renda e à propriedade de moradia.

O banco suíço antecipa que ao longo dos próximos cinco anos aumente o número de milionários em Portugal: em 2022, 77 mil portugueses deverão ter uma fortuna avaliada em 100 mil dólares.

Os dados constam da oitava edição do "Global Wealth Report 2017", que atualiza anualmente os dados de distribuição de riqueza no mundo e faz projeções para o segmento num horizonte de cinco anos à frente.

O país com mais milionários continua a ser, de longe, os EUA, que superou a fasquia dos 15 milhões de milionários e deverá ter quase 18 milhões - 17.784 - em 2022.

De acordo com o trabalho do banco suíço, a riqueza por adulto na América Latina se situa atualmente em US$ 19,04 mil, o que representa um aumento de 2,1%.

Os argentinos, por sua vez, contam entre eles com 30 mil milionários, número que experimentará um aumento de 127% até 2022, data na qual haverá 68 mil, segundo o relatório.

A riqueza global cresceu, em 2017, 16,7 biliões de dólares, ou 6,4%, para 280 biliões de dólares. Isto reflete ganhos generalizados nos mercados de ações combinados com aumentos semelhantes em ativos não financeiros, que pela primeira vez neste ano ultrapassaram o nível de 2007, antes da crise. Em Espanha há 428 mil milionários, um número que também cresceu de forma brusca, já que no ano passado havia 370 mil milionários, definidos como pessoas com património equivalente a um milhão de dólares ou mais.

"Afetado ao mesmo tempo por crises política e econômica, o Brasil enfrentou sérias dificuldades nos últimos anos".

O Brasil está entre os muitos países nos quais a maioria dos cidadãos possue uma riqueza de entre US$ 10 mil e US$ 100 mil, mas a desigualdade é relativamente elevada.

A desigualdade de renda no país fica clara no relatório: quase metade da riqueza do país (44%) está nas mãos de apenas 1% dos brasileiros. O Credit Suisse diz que a riqueza média global por adulto cresceu 4,9%, atingindo um novo recorde de 56.540 dólares por adulto. Em contraste, os 36 milhões de milionários, que compreendem menos de 1% da população, detêm 46% da riqueza das famílias.