Presidente do Quénia declarado vencedor das eleições

Presidente do Quénia declarado vencedor das eleições

Segundo informação da polícia à Reuters, chegaram à morgue central de Nairobi os corpos de nove homens jovens abatidos no bairro de lata de Mathare durante uma operação anti-pilhagem. A menina estava numa varanda quando foi atingida por uma bala, revelou o seu pai à AFP.

"Não vamos nos deixar intimidar".

A oposição já advertiu que não desistirá da proclamação de Odinga como vencedor das presidenciais, considerando que a repressão dos motins pela polícia constitui uma tentativa "de submeter" a oposição. Nenhuma evidência dessas mortes foi divulgada ainda pela oposição.

O presidente do Quênia, Uhuru Kenyatta, foi reeleito, de acordo com os resultados da apuração das urnas utilizadas no pleito do dia 8 deste mês.

Segundo uma contagem da agência de notícias France Presse, os confrontos entre manifestantes e polícia resultaram em pelo menos 11 mortos, nove nos bairros da lata de Nairobi e dois no oeste do país, perto de Kisumu e Siaya, desde a noite de sexta-feira.

A oposição tem multiplicado nos últimos dias as acusações de fraude eleitoral, exigindo que Odinga seja declarado vencedor e exclui recorrer à justiça contra a reeleição de Kenyatta.

"Comunicaremos no momento adequado a maneira como realizaremos nossa ação", afirmou Muthama, acrescentando que, "por enquanto, pedimos aos nossos partidários e aos quenianos que se mantenham em segurança".

Kenyatta, um rico empresário de 55 anos e filho do presidente fundador do Quênia, enfrentou Raila Odinga, um ex-prisioneiro político de 72 anos e filho do primeiro vice-presidente do Quênia.